A invenção da arte

link_a_001

link_a_002

link_a_003

link_a_004

link_a_005

link_a_006

link_a_007

link_a_020

link_a_021

link_a_022

link_a_023

link_a_008

link_a_009

link_a_010

link_a_011

link_a_012

link_a_013

link_a_014

link_a_015

link_a_016

link_a_017

link_a_018

link_a_019

Sobre Luciano Figueiredo

Luciano Figueiredo. Fortaleza, Brasil, 1948. Vive e trabalha no Rio de Janeiro, Brasil Iniciou-se na pintura nos anos 1960 com Adam Firnekaes, pintor e musico da escola Bauhaus, Alemanha. Transitando por Salvador e Rio de Janeiro no período de sua formação participa com frequência de exposições coletivas e movimentos culturais. Afirmou-se como expoente no movimento da chamada contracultura no Brasil na década de 1970, através de realizações de cenografias para espetáculos de música, projetos gráficos, cinema e principalmente a sua participação na histórica revista “Navilouca”, editada por Torquato Neto e Waly Salomão, para a qual fez o projeto gráfico. Neste período sua produção é muito marcada pelas colaborações de caráter experimental e interdisciplinar. Residiu em Londres entre 1972 e 1978, realizando estudos de História da Arte e de Literatura Inglesa. Neste mesmo período, iniciou sua pesquisa utilizando-se de páginas impressas de jornal, seguindo o fluxo das experimentações com seus poemas visuais realizados com recortes de palavras, manchas de cor, majoritariamente utilizando os tablóides ingleses. Esta pesquisa o levou, a partir de 1975, à construções de objetos tridimensionais com colagens, malhas de arames, e relevos monocromáticos, representadas nas exposições que realizou em galerias de arte no Rio de Janeiro e São Paulo a partir de 1984.