A razão em Camões

Ao deslumbramento dos primeiros lusíadas com os “chins” e as “cousas da China” a partir dos primeiros contactos em Malaca e que desde o Tratado de Fr. Gaspar da Cruz (1569-1570) nunca deixaram de ter expressão positiva (LOUREIRO, 2000), corresponderam os chineses com a tolerância em ter à ilharga, encravado no distrito de Hengshan, o porto de Amagao, onde os portugueses se foram deixando estar.