Sobre Idelber Avelar

É belo-horizontino e leciona literatura na Universidade Tulane (Nova Orleans). É autor de Alegorias da derrota (UFMG, 2003) e Figuras da violência (UFMG, 2011), entre outros. Editou durante seis anos o blogue "O Biscoito Fino e a Massa" e é colunista da revista Fórum.

As origens do “politicamente correto”

Se pudéssemos resumir de forma simplificada a grande descoberta dos estudos da linguagem no século XX, o resumo seria: a língua não é um instrumento neutro. Dito assim, parece à toa. Mas quando desempacotamos as premissas e conclusões que se desprendem desse enunciado, algumas consequências se impõem para a prática política de esquerda. Não se trata só de que os sujeitos que se utilizam da linguagem não são neutros, mas que os próprios vocábulos, estruturas e entonações da língua trazem consigo uma história carregada de sentidos culturais e políticos. Não é do interesse dos que lutam ao lado dos mais fracos ignorar ou minimizar essa história.