O atentado ao Charlie Hebdo

Fiquei sabendo por um telefonema do Chico Caruso: “E o Charlie Hebdo, hem?” Fiquei esperando o resto da piada. “Mataram o Wollinski, o Cabu e mais dez.” Quando caiu a ficha e me convenci de que era verdade, o impacto foi literalmente tão arrasa-quarteirão quanto o da explosão das Torres Gêmeas. Como disse o Ique no Jornal da Globo. Mas discordo quando acrescentou que, daqui pra frente, os cartunistas irão se atemorizar e diminuir suas críticas ao Irã, sem trocadilho. Os colegas de cartum, não sei, mas eu pretendo pegar mais pesado do que costumo. Para quem não viu a minha charge de quinta-feira passada, desenhei um suposto Alá com turbante e uma barba negra contrastando com a barba branca de um Deus ariano. Pela Lei do Corão, a reprodução de qualquer imagem do Profeta é crime que deve ser punido com a morte. E agora?