Rasura, tradução e poema

A tradução como alteridade; aproximação que não sobrepuja. A tradução, não para que tudo esteja no mesmo plano; absorvível, acumulável. Não falamos aqui de uma tradução que iguale diferenças, mas, pelo contrário, falamos de algo que as torne visíveis umas às outras. Ou seja, uma tradução que ressalte cada lugar, sem a tônica da rasura. A rasura se dá quando apenas um se sobrepõe aos demais. O inverso disso também não nos é interessante: lugares estanques, não cambiáveis, isolados.