Sobre Solange Rebuzzi

Escritora e psicanalista.

Oitos noites em Veneza

Do livro Oitos noites em Veneza Solange Rebuzzi Li que Ezra Pound morreu em Veneza no dia primeiro de novembro de 1972. Eu nunca soube. Ele estava com 87 anos. Um grande poeta que se dizia doente e apontava para o coração. Pound foi muitas vezes a Veneza. Ele se interessou pela música veneziana. Ouvia […]

Colagens

colagem revolução 2009-1 colagem Rio-Cairo colagem, 2010 colagem, 2008-2009(1) colagem, 2008-2009 colagem, 2010 colagens 2009 (1) paixão de abril

Os oitenta anos do poeta francês Henry Deluy

O poeta Henri Deluy nasceu na cidade de Marselha em 1931 e vive em Val-de-Marne, nas proximidades de Paris. Ativo divulgador da poesia que circula no mundo, é diretor da revista Action Poétique desde 1955, que acaba de lançar seu número 205. E fundou, em 1990, o Festival “Biennale Internationale des Poètes en Val-de-Marne”. Traduziu, só ou em colaboração, poemas de portugueses (Pessoa, Adilia Lopes), do tcheco (Jaroslav Seifert), de espanhóis (Saül Yurkievich, Reina Maria Rodriguez), de russos (Alexandre Tvardosky, Marina Tsvétaïeva, Anna Akhmatova, Maïakovski) e alguns outros.

Francis Ponge e sua mesa

Na primeira sílaba da palavra table Ponge encontra a sonoridade da madeira, o som “em xeque” conforme ele diz: “ta”. Logo a seguir, a terminação muda da palavra lhe anuncia um aspecto presente em suas preocupações, pois o coloca diante do “mundo mudo” com a letra não pronunciada, o “e” da sílaba final que carrega algo de perda.

Sigmund Freud

Sigmund Freud nasceu em 06 de maio de 1856 em Freiberg, Moravia. Recebeu o nome de Sigismund Schlomo. Em 1878 ele mudou seu nome para Sigmund.Freud viveu, inicialmente, em uma família de abastados comerciantes judeus e teve uma educação judaica não tradicionalista e aberta à filosofia do Iluminismo. Era amado pela mãe, que o chamava “meu Sigi de ouro”, e muito querido também pelo pai, que lhe transmitiu os valores do judaísmo clássico.

Cartas inéditas de Freud

Em Notre coeur tend vers le sud: correspondance de voyage, reunião de cartas, bilhetes e cartões-postais que Sigmund Freud escreveu aos familiares entre 1895 e 1923, encontramos um roteiro de viagem marcado por comentários sutis, numa linguagem irônica, às vezes até telegráfica. Enviadas principalmente da Itália, as missivas são endereçadas a sua mulher, Martha, e aos filhos, e contam sobre as cidades, os monumentos…