Sobre Tales Ab´Sáber

É professor de filosofia da psicanálise no Curso de Filosofia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) e membro do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae. É formado em cinema pela Escola de Comunicações e Artes da USP, por onde é mestre em artes, e psicológo pelo Instituto de Psicologia da USP, onde defendeu doutorado sobre clínica psicanalítica contemporânea. Em 2005 recebeu o Prêmio Jabuti na categoria Melhor Livro de Psicologia, Psicanálise e Educação com O sonhar restaurado - formas do Sonhar em Bion, Winnicott e Freud (Ed. 34). Publicou, em 2012,A música do tempo infinito, sobre cultura tecno e subjetivação contemporânea (Cosac Naify).

O mundo contemporâneo

Por fim, a canção movimentou uma parte muito significativa da experiência contracultural do século XX, e permitiu, no tempo das vanguardas culturais, a dissolução crítica e a reconstrução de comportamentos sobre a égide libertária, para um imenso público, já mundial, que se formava com ela. A canção, na forma de choque do rock, acompanhou o primeiro tempo da globalização mundial do capital…

SIBILA DEBATE 64: Tales Ab´Sáber

Tales: Não acredito que o Brasil vivesse um verdadeiro momento revolucionário no pré-64. Apesar dos conflitos localizados e de grandes proporções em relação ao controle da distribuição da renda e da propriedade no Brasil, principalmente no Nordeste, o processo de demandas sociais se dava então de modo a produzir pressões cuja expressão era, e devia ser, as esferas institucional e legal do país. Noutras palavras, movimentos populares e progressistas de caráter abertamente públicos, como o das Ligas Camponesas de Pernambuco, apostaram fortemente na democracia brasileira de então como espaço digno da confiança para promover o debate e o desenvolvimento social.