Estações do ano

Primavera Primavera perdida num Calor do inverno Roxos em cascatas Trepadeiras em flor Sutilmente enganadas Por ordem superior Orquídeas atentas ao Relógio do sol Pintalgam os muros em Todo o quintal Esperanças despertas Em tempos de Caos Cores expressionistas Afirmando a Luz Colam-se à retina Pintando acajus babaçus baiacus bambus belzebus E os sinos de […]

Manifesto Baphywave

BA PHY PHY NA BAPHYWAVE IS OUR EXPRESSION Vocês são os surfistas da baphywave. Sonho com você sonhos repetidos. Consequências de um apaixonamento que gestado em poucas semanas e já passado os nove, onze, treze meses Rima. Solução. Sonhos reprisados como sessão da tarde vista pela milésima vez. Ghost. Baphywave truqueira. O bafo é o […]

poemas de Júlia de Carvalho Hansen

O futuro? Tem orelhas, mas é surdo. E é manco. Se arrasta, sem espanto mais alheio do que lúcido com o nosso despreparo. Se fosse um deus amava o humano mas, como não existe, o futuro tem de amansar seus ventos, marcando as peles, as montanhas. Sendo um gênio, não é um exército de cronogramas, […]

Se amar é errado

Se CS Giscombe (2860 resultados) é um poeta, eu não quero ser um poeta
Se Rob Fitterman (3620 resultados) é um poeta, eu não quero ser um poeta
Se Caroline Knox (4120 resultados) é um poeta, eu não quero ser um poeta
Se Claudia Keelan (4280 resultados) é um poeta, eu não quero ser um poeta
Se Tom Mandel (5150 resultados) é um poeta, eu não quero ser um poeta
Se Ed Roberson (6100 resultados) é um poeta, eu não quero ser um poeta

Jessica Pujol Duran: 2 poemas

já comeu filho posso passar
a laranja e as nozes
para você o céu é cinza e negro o ar
ainda no quarto um bebê chora
e é uma prece lembrada ali
é uma igreja eu aperto a laranja e
quebro uma noz está acordando
ouviu como tocou o sino
a fé cresce em lamentação mas
quem liga agora que germina o verde

Marko Matičetov: Poemas

Noutra língua falas
as tuas próprias palavras.
Não como um estrangeiro falaria dentro de ti.
Em outra língua ouve-se a tua voz.
A tua língua.
Que não estás em lugar nenhum sob o céu
externo a ti mesmo.

João Concha: Dois poemas

No lastro da sala
e eu à espera:
impressão de estar
nunca parado:
as paredes rodeando
vazios:
tudo forte
e sem função:
a geometria dos quartos
sempre fictícia:
só a distância entre
as estrelas:
uma escada não faz
uma cidade: