Tropicália

Above my head the planes
Under my feet the trucks
My nose pointing towards
The plateaus
I organize a movement
I orient the carnival
I inaugurate a monument
In the country’s Central Plateau
Long live the Bossa –ssa –ssa
Long live huts from straw –traw –traw

The monument is made from streamers & silver
The green eyes of the mulatta
The hair conceals behind the green forest
The moonlight in the sertão
The monument has no door
The entrance is through an old, narrow, crooked street
A kneeling, smiling, ugly dead child
Stretches out its hand
Long live the green land –land -land
Long live the multatta –ta –ta –ta –ta

In the inner patio there’s a swimming pool
with blue water from Amaralina
Coconut tree, Northeastern breeze and talk and lights
In the right hand a rose bush
Legitimizing an eternal spring
In the gardens vultures stroll all afternoon
Amidst sunflowers
Long live Maria –ia –ia
Long live Bahia –ia –ia –ia –ia

On the left wrist bang-bang
Little blood runs in his veins
But his heart swings to a samba and tambourine
Playing dissonant chords
From five thousand loudspeakers
Ladies and gents, he watches me with big eyes
Long live Iracema –ma –ma
Long live Ipanema –ma –ma –ma –ma

Sunday it’s “Fino da Bossa”
Monday it’s the dumps
Tuesday he goes to the backland. But
The monument’s pretty modern
He said nothing about the tailoring of my suit
To hell with everything else
My dear
Long live “A Banda” –da –da
Long live Carmen Miranda –da –da –da –da

 

Tropicália

Sobre a cabeça os aviões
Sob os meus pés os caminhões
Aponta contra os chapadões
Meu nariz
Eu organizo o movimento
Eu oriento o carnaval
Eu inauguro o monumento
No planalto central do país…
Viva a bossa
Sa, sa
Viva a palhoça
Ca, ça, ça, ça…(2x)
O monumento
É de papel crepom e prata
Os olhos verdes da mulata
A cabeleira esconde
Atrás da verde mata
O luar do sertão
O monumento não tem porta
A entrada é uma rua antiga
Estreita e torta
E no joelho uma criança
Sorridente, feia e morta
Estende a mão…
Viva a mata
Ta, ta
Viva a mulata
Ta, ta, ta, ta…(2x)
No pátio interno há uma piscina
Com água azul de Amaralina
Coqueiro, brisa
E fala nordestina
E faróis
Na mão direita tem uma roseira
Autenticando eterna primavera
E no jardim os urubus passeiam
A tarde inteira
Entre os girassóis…
Viva Maria
Ia, ia
Viva a Bahia
Ia, ia, ia, ia…(2x)
No pulso esquerdo o bang-bang
Em suas veias corre
Muito pouco sangue
Mas seu coração
Balança um samba de tamborim
Emite acordes dissonantes
Pelos cinco mil alto-falantes
Senhoras e senhores
Ele põe os olhos grandes
Sobre mim…
Viva Iracema
Ma, ma
Viva Ipanema
Ma, ma, ma, ma…(2x)
Domingo é o fino-da-bossa
Segunda-feira está na fossa
Terça-feira vai à roça
Porém!
O monumento é bem moderno
Não disse nada do modelo
Do meu terno
Que tudo mais vá pro inferno
Meu bem!
Que tudo mais vá pro inferno
Meu bem!…
Viva a banda
Da, da
Carmem Miranda
Da, da, da, da…(3x)

*1968
Translated into English by Odile Cisneros 2010