“Cruzamentos: Brasil, Portugal e Grande China” de 27 a 31 de julho na USP

Cruzamentos: Brasil, Portugal e Grande China de 27 a 31 de julho na USP

Participarei do Seminário “Cruzamentos: Brasil, Portugal e Grande China”, coordenado pela Professora Márcia Schmaltz. Eis um resumo de minha fala. Conheci, por e-mail, Yao Feng em 1999. Há trabalhos dele em http://sibila.com.br , site da revista Sibila. Ele é o único poeta chinês que aprendeu português – tem um português fluente. Tornamo-nos pen friends – amigos à distância –, ele em Macau e eu em São Paulo. Em 2006, ele veio ao Brasil para participar do seminário “Poesia em tempo de guerra e banalidade”, organizado pelo Alcir Pécora e por mim, para o Espaço Cultural cpfl, de Campinas. Combinamos então fazer uma antologia de poesia contemporânea chinesa. Em seguida, ele começou a me enviar o material. O critério foi o de publicar apenas o que funcionasse em português, um português de João Cabral, de Carlos Drummond de Andrade, de Murilo Mendes e não o de fazermos traduções “ideogramizantes”. O chinês não pode ser vertido literalmente, pois, transforma-se em “poema concreto” e, deste modo, perde-se o conceito mesmo de tradução e o sentido da outra língua e do próprio chinês. O Yao fazia as versões literais, que eu retrabalhava à exaustão, e, depois, ele as relia – aprovava ou não. Por isso, há dez poetas somente, com poucos poemas. Aliás, produto de um ano ou mais de trabalho. Alguns poemas traduzi do inglês e submeti a ele, que fez as revisões. A palavra final foi sempre dele. Subjaz a todos os poemas a tradição milenar da cultura chinesa, combinada com a apropriação do presente, do contemporâneo. Os chineses têm uma ingenuidade franca e dura, uma integridade. Os chineses são ao mesmo tempo enigmáticos e concretos. Considero a poesia brasileira contemporânea muito provinciana, autofágica, queimando o capital de sua tradição. Os chineses são – apesar do pc e da censura – são mais cosmopolitas do que os brasileiros.  Um poeta é um exilado por definição. Prefiro considerar-me um exilado poético no Brasil. Cada país produz um tipo de censura. Na China ela é sobretudo política. No Brasil, é principalmente econômica. No livro Um barco remanda o mar (2007) tratamos de tentar relativizar esses exílios. É sobre esse diálogo independente que pretendo falar em: “Cruzamentos: Brasil, Portugal e Grande China”. Régis Bonvicino

Dia 31/07/2015

15h – 17h Mesa-redonda/Panel: Tradução: arte, história e mercado
Coordenação: Márcia Schmaltz (Universidade de Macau)
Yao Jingming (Universidade de Macau) – Retrospectiva da tradução de expressão em língua portuguesa para o chinês
Regis Bonvicino (TJ-SP) – Tateando a China por meio de traduções e poemas
Hu Xudong (Universidade de Pequim) – Traduzindo a poesia brasileira
Lee Hershey (Lesley University) – Reader Response: Translation of Clarice Lispector’s A hora da estrela into Chinese
Jézio Hernani Bomfim Gutierre (Editora UNESP) – O mercado editorial chinês da tradução
Márcia Schmaltz (Universidade de Macau) – Panorama da tradução literária do chinês para o português

Programação completa

Exposições culturais:

Exposição “Xilogravuras chinesas” – 28 trabalhos trazidos de Macau por Márcia Schmaltz
Exposição “Imagens da China” – 15 fotografias de Ingrid Hernandes e Daniel Feres.

27/07/2015 (segunda-feira)

8h30 – 8h50 Abertura/ Opening (Maria Célia, John, CCINT , Sandra Vasconcellos da Biblioteca Mind Lin)
8h50 – 9h30 Conferência/ Plenary: Severino Cabral (IBECAP) – Macau e a lusitanidade no século XXI: pilares transoceânicos e transculturais da nova mundialidade
9h30 – 10h Coffee Break
10h – 11h20 Mesa-redonda/Panel: Ensino de Português na China
Coordenação: Júlio Jatobá (Guangdong University of Foreign Studies)
Júlio Jatobá (Guangdong University of Foreign Studies) – Português língua de herança na China: O caso de Dongguan
Yan Qiaorong (Silvia) – (Universidade de Comunicação da China) – O ensino de português na China: história, situação atual e novas tendências
Roberval Teixeira e Silva (Universidade de Macau) – Imaginários sobre gramática no contexto chinês de ensino de português como língua não materna
11h25 – 13h05 Mesa-redonda/Panel: Identidades e histórias
Coordenação: Raquel Abi-Sâmara (Universidade de Macau)
Erika Zoeller Veras (WUT) – Women in Management: a Challenge for the 21st Century in Brazil and China
Daniel Bicudo Veras (Hubei University) – An Overview of the Sino-Brazilian Relations throughout History
Margarida Conde (Universidade de São José) – Identidade macaense: retratos impressionistas de espaços e ambiências na obra “Os Dores” de Senna Fernandes
Hu Jing (Universidade de Lisboa)– Chinese Immigrants in Portuguese-speaking Countries
13h05 – 14h35 Almoço
14h35 – 15h45 Mesa-redonda/Panel: Cultura e Religião
Coordenação: Márcia Schmaltz (Universidade de Macau)
André da Silva Bueno (UNESPAR) – Padre Guerra e Confucionismo Moderno: quais perspectivas?
Leandro Marques Durazzo (UFRN) – O imaginário da morte no budismo chinês
Maria Célia Lima-Hernandes (USP/CNPq) – Entre lápides e epitáfios: os cemitérios como locus de pesquisa cultural
15h45 – 16h05 Coffee Break / Apresentação de pôsteres: Sara dos Santos Mota/ Willian de Melo Ely
16h05 – 18h Mesa-redonda/Panel: Relações Internacionais
Coordenação: Sérgio Antunes
Paulo Fagundes Vizentini (UFRGS) – Os BRICS na África: cooperação entre a semiperiferia e a periferia
Jorge Morbey (Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau) – A língua portuguesa no Oriente: de língua franca/ internacional, a língua das cristandades crioulas
Jae Park (The Hong Kong Institute of Education) – Sino-Latin American Relation: from coolies to Confucius Institutes
Carlos Kessel (Embaixada do Brasil, Santiago-Chile) – Projeto “Filhos da Língua Portuguesa”

28/07/2015 (terça-feira)

8h – 8h40 Conferência/ Plenary: Ming K. Chan (Stanford University)
8h40 – 10h Mesa-redonda/Panel: Contatos Literários e Filosóficos: Brasil/ China
Coordenação: Márcia Schmaltz (Universidade de Macau)
Mário Bruno Sproviero (USP) – Alguns tópicos e problemas de tradução dos clássicos chineses
Ricardo Primo Portugal (Ministério das Relações Exteriores – Itamaraty) – Antologia da poesia chinesa – Dinastia Tang; Poesia completa de Yu Xuanji: um percurso de transcriação em português.
Antônio Florentino Neto (UEL – Brasil/China – Unicamp) – Zhuangzi e Heidegger: Wu Wei e Gelassenheit
10h – 10h20 Coffee Break
10h20 – 12h Mesa-redonda/Panel: Olhares interculturais
Coordenação: Yao Jingming (Universidade de Macau)
Patrícia Kondo Komatsu (USP) – Os japoneses órfãos na China: um difícil retorno
Marly D’Amaro Blasques Tooge (Universidade Anhanguera) – Da transculturação à disseminação: Marcos Lombello e o Projeto de Amizade China-Brasil
David Tsai (Fatec) – Uma análise introdutória do conceito de rito confuciano sob o olhar da inteligência emocional
Daniel Bicudo Veras (Hubei University) / Erika Zoeller Veras (WUT) – The “Jeitinho” and the “Guanxi”: the Brazilian and the Chinese Ways of Doing Business
12h– 13h30 Almoço
13h30 – 15h Mesa-redonda/Panel: Macau: the bridge connecting chinese and western culture
Coordenação: Tam Chi Kuong (Derrick) (Macao Heritage Ambassadors Association)
Law Ka Wah (Carol) (Macao Heritage Ambassadors Association) / Wong Ka Fai (Marcus) (Macau Cultural Heritage Reinventing Studies Association) – When A Street Has Two Names – Study of Street Names and their Translations in Macau
Chan Cheng (Alisa) (Macao Heritage Ambassadors Association) / Cheong Ka Chio (Macau Cultural Heritage Reinventing Studies Association) – Macau new guardian – Discussion of how Macau Heritage was protected by mass communication using “Protection of Coloane” as example
Kok I Iao (Anita) (Macao Heritage Ambassadors Association) – Images of Macao in Hong Kong movies
Leong Kin Keong (Steve) (Macao Heritage Ambassadors Association) – The Integrating of Cultures in Macao
15h – 15h20 Coffee Break
15h20– 17h Mesa-redonda/Panel: Contatos Acadêmicos com a China
Coordenação: Ho Yeh Chia (USP)
Cheng Liang Yee (USP) – Marco Polo
Marco Rocha (UFSC) – O poço do dragão (Long Jin)
Shu Changsheng (USP) – Do exílio cultural para a anfíbia – a minha jornada no global village
José César de Souza Almeida Neto (IEE-USP) – Intercâmbio em Beijing – experiência de aprendizado no Instituto de Tecnologia de Beijing

29/07/2015 (quarta-feira)

8h – 9h20 Mesa-redonda/Panel: Chinese Soft Power
Coordenação: Ming K. Chan (Stanford University)
Jorge Rangel (Instituto Cultural de Macau)
Yun-Han Chu
Qiao Jianzhem (Instituto Confúcio)
[MCL1] Comentário: títulos
9h20 – 9h40 Coffee Break
9h40 – 11h Mesa-redonda/Panel: Tradução ideogrâmica
Coordenação: John Corbett (Universidade de Macau)
John Corbett (Universidade de Macau) – A tradução ideogrâmica: Edwin Morgan
Raquel Abi-Sâmara (Universidade de Macau) – A tradução ideogrâmica: Haroldo de Campos
Ting Huang (Universidade de Macau) – A tradução ideogrâmica: Li Po e Ezra Pound
11h05 – 13h05 Mesa-redonda/ Panel:
Coordenação: Maria Antónia Nicolau Espadinha (Universidade São José)
Juliana Rodrigues Salles (UEFS)– Sinais do trágico: uma leitura de Os Maias de Eça de Queirós
Alana de Oliveira Freitas El (UEFS) – O evangelho segundo Machado: Sagradas reescrituras
Maria Antónia Nicolau Espadinha (Universidade São José) – O protagonismo e os protagonistas de Macau
Isaura dos Santos Souza (UEFS) – Relíquias Recolhidas: alegoria política no conto O Dicionário de Machado de Assis
Almir Pantoja Rodrigues (UFPA) – A literatura portuguesa nos periódicos da Belém Oitocentista

30/07/2015 (quinta-feira)

8h40 – 10h20 Mesa-redonda/Panel: Estudos Literários e culturais relacionados a Macau
Coordenação: Raquel Abi-Sâmara (Universidade de Macau)
Rogério Miguel Puga (Universidade Nova de Lisboa) – O(s) outro(s) exótico(s) no Delta no Rio das Pérolas: representações de Macau nas literaturas anglófonas.
Han Lili (Instituto Politécnico de Macau) – Feitos um para o outro: a tradução do chinês para o português e Macau como o lugar da tradução. Ensaios de Lu Xun traduzidos em Macau por estudantes portugueses.
Monica Simas (USP/UM) As linguagens que nos inventam: Porta Macau
10h20 – 10h40 Coffee Break
10h40 – 12h Mesa-redonda/Panel: Ensino de chinês no Brasil
Coordenação: Ho Yeh Chia (USP)
Qiao Jianzhen (Instituto de Confúcio) – Os Institutos Confúcio no Brasil
David Jye Yuan Shyu (USP) – Breve história do ensino de língua chinesa na comunidade chinesa do Brasil
Rogério Macedo (UNIFESP) – A história do ensino de língua chinesa no Brasil: uma questão do planejamento linguístico
12h – 13h20 Mesa redonda/Panel: Discursos em cruzamentos
Coordenação: John Corbett (Universidade de Macau)
Cristiano Mahaut de Barros Barreto (PUC-RJ) – Tradução e Metalinguagem no Laozi: uma abordagem perspectiva
Tang Kaijian (Universidade de Macau) – Origins and Development of Catholicism in Macau during the Late Ming and Early Qing Dynasties
George Wei (Universidade de Macau) – Colonial/ Anticolonial Discourses on Macao: A Comparative Study of Western and Chinese “Border Thinking” in a Portuguese Colony
13h20 – 14h50 Almoço
14h50 – 16h30 Mesa redonda/Panel: Estudos literários: ficção e reflexão
Coordenação: John Milton (USP)
Paul Melo e Castro (University of Leeds) – Heartbreak in the Metropole: Henrique de Senna Fernandes’s “Um Encontro Imprevisto”, Vimala Devi’s “Fidelidade” and Orlanda Amarílis’s “Nina”
Duarte Drummond Braga (USP) – Diásporas na ficção de Macau em língua portuguesa: os casos de Senna Fernandes e Pacheco Borges
Paulo de Tarso Cabrini Jr. (OAPEC) – “O esquema do Guardador do Vazio”: apresentação de uma tradução dos “Vinte e quatro estados poéticos”, de Si Kong Tu
Vera Borges (Universidade de São José) – Mitos e metamorfoses do sujeito na jornada poética de Fernanda Dias
16h30 – 16h50 Coffee Break
16h50 – 18h30 Mesa-redonda/ Panel: Aprendendo com as diferenças
Coordenação: Carlos Alberto Gohn (UFMG)
Norma da Silva Lopes (UNEB) – O tudo no valor de todos/ todas no PB, em Macau e nos Tongas
Carlos Alberto Gohn (UFMG) – A criação de material adicional de apoio audiovisual e de atividades interativas para o ensino do chinês a falantes de português
Camila Tang (SISU/USP)– O ensino de português brasileiro na China
Antônio Ponciano Bezerra (UFS) / Mônica M. Soares Rosário (UFS) – A expansão atual do ensino de português na Ásia: o caso de Macau

31/07/2015 (sexta-feira)

8h –8h40 Conferência/ Plenary: António Graça de Abreu (Universidade de Aveiro) – Li Bai, Du Fu, traduzir os maiores poetas da China, criação, reinvenção e rigor.
8h45 – 10h45 Mesa-redonda/Panel: Retratos do oriente
Coordenação: Helder Garmes (USP)
Lin Guangzhi (Universidade de Macau) – Um canto do império: os portugueses, os cantoneses e o cantonês do século XV e XVI
José Carvalho Vanzeli (HUFS) – Overseas Chinese in late nineteenth century Latin America: a Portuguese vision
Isabel Maria da Costa Morais (Universidade de São José) – Os entrecruzamentos da imigração chinesa (1858-2015): Macau, Moçambique e Brasil
Helder Garmes (USP) – Eça de Queirós, a China e o Brasil.
Afrânio da Silva Garcia (UERJ) – O realismo colonialista em Macau: um estudo semântico-estilístico de Henrique de Senna Fernandes e Jaime do Inso
10h45 – 11h Coffee Break
11h – 12h Mesa-redonda/ Panel: Experiências de Intercâmbio acadêmico- científico com a China
Coordenação: Presidente da CCINT-USP
[MCL3] Comentário: A CONFIRMAR
Anália Amorim (USP) – O papel da arquitetura na Imagem da China
Rabbani Said Rahnamaye (USP) – Possibilidades de cooperação entre Brasil e China
12h – 13h30 Mesa-redonda/Panel: Experiências de mobilidades: imigração e
transculturalidade
Coordenação: Roberval Teixeira e Silva (Universidade de Macau)
Bi Meng Yin (Embaixada Brasileira, Pequim) – Imigrantes chineses em São Paulo e a sua língua
Padre Lucas Xiao (Colégio São Bento) – Histórias de imigração e de contatos sino-brasileiros em São Paulo
Roberval Teixeira e Silva (Universidade de Macau)/ Elza Gabaldi (Colégio de São Bento) – Retratos da imigração chinesa em São Paulo: a sala de aula de português
13h30 – 15h Almoço
15h – 17h Mesa-redonda/Panel: Tradução: arte, história e mercado
Coordenação: Márcia Schmaltz (Universidade de Macau)
Yao Jingming (Universidade de Macau) – Retrospectiva da tradução de expressão em língua portuguesa para o chinês
Regis Bonvicino (TJ-SP) – Tateando a China por meio de traduções e poemas
Hu Xudong (Universidade de Pequim) – Traduzindo a poesia brasileira
Lee Hershey (Lesley University) – Reader Response: Translation of Clarice Lispector’s A hora da estrela into Chinese
Jézio Hernani Bomfim Gutierre (Editora UNESP) – O mercado editorial chinês da tradução
Márcia Schmaltz (Universidade de Macau) – Panorama da tradução literária do chinês para o português

http://crossingsbrazil.fflch.usp.br/

Macau, foto de Filipa Quierós