Régis Bonvicino na OI FUTURO IPANEMA

A Oi, o Governo do Rio de Janeiro,
Secretaria de Estado de Cultura
e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro
convidam para a exposição

A NOVA UTOPIA
de Regis Bonvicino

Curadoria
Alberto Saraiva

Abertura
30 de julho de 2016, sábado, às 19h30

OI FUTURO IPANEMA
Galeria 1 e Vitrine (térreo)
Visitação:  31 de julho a 25 de setembro
De terça a domingo, das 13h às 21h
Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema
Tel.: 3131 9333


Tempus fugit

O Face me dispõe na tela
O Face é uma flor-estrela
de boca aberta
O Face não é flor que se cheire
O Face jamais fica às moscas
O Face desmascara a farsa
do ready-made
A chuva é molhada
A pedra é dura
O céu, no Face, é azul
No Face, vai chegar a nossa vez
Hoje envio os parabéns
ao poeta Ron Silliman, 66
O Face é fake como
uma nêspera
O Face é tão fake como
o funeral de Neruda
O Face encara a verdade
de costas
O Face pega no nervo
excita na vigília
desova presunto
O Face é um espião barato,
prêt-à-porter, feito
para mim e para você
O Face
é muito mais que um videoteipe
é o arquivo do presente
é um avião não tripulado
uma abelha macho despejando mísseis
O Face
trafica pétalas
No Face, só há amigos
A vida
não chega aos pés do Face

 

Mais informações

Poesia será exibida na fachada, na vitrine e na galeria do primeiro andar do Centro Cultural

O poeta, tradutor, crítico de literatura e editor Régis Bonvicino inaugura no próximo dia 30 de julho, no Oi Futuro em Ipanema, sua exposição “A Nova Utopia”, dentro do programa “Poesia Visual”, que tem curadoria assinada por Alberto Saraiva.

A exposição tem patrocínio da Oi, Governo do Estado do Rio de Janeiro, Secretaria de Estado de Cultura e Lei Estadual de Incentivo à Cultura do Rio de Janeiro. A obra de Regis ocupa a vitrine, a fachada do prédio e a galeria 1, no primeiro andar do centro cultural. No dia da inauguração, das 19h às 22 horas, em toda a extensão do prédio será projetado o poema Frontispício, do mais recente livro de Régis, “Estado Crítico”, por meio de técnicas de animação tipográfica.

A vitrine do prédio, com 12 metros de comprimento, apresenta  o poema “Tempus Fugit”,  também da obra “Estado Crítico”. “A proposta visual é ocupar as dez lâminas de vidro da vitrine com o poema completo, impresso em azul profundo sobre fundo dourado”, antecipa o curador Alberto Saraiva.

Na galeria, o público verá, ao centro, um totem com uma peça especialmente criada pelo artista Luciano Figueiredo sobre a última linha do poema “A Nova Utopia”, que dá título à exposição.  “Ao redor, ocupando todo o espaço, nove monitores reproduzem frases poéticas ditas por diferentes jovens, com fundos também diferentes:  o impacto será a profusão de vozes e imagens partindo de cada canto da galeria”, complementa o curador. A exposição pode ser visitada de 31 de julho até o dia 25 de setembro, com entrada franca e faixa etária livre.

 

Sobre Régis Bonvicino

É poeta, tradutor, crítico de literatura e editor, nascido em São Paulo, em 1955.

Como poeta, publicou dois pequenos livros nos anos 1970, ainda muito jovem, em edição do autor:  Bicho Papel (1975) e Régis Hotel (1978). A partir dos anos 1980, lançou Sósia da Cópia (Max Limonad, 1983), Más Companhias (Olavobrás, 1987), 33 Poemas (Iluminuras, 1990), Outros Poemas (Iluminuras, 1993), Primeiro Tempo (Perspectiva, 1995, reunião dos livros Bicho Papel, Régis Hotel e Sósia da Cópia), Ossos de Borboleta (Editora 34, 1996), Together – um poema, vozes (Ateliê Editorial, 1996), Céu-Eclipse (Editora 34, 1999), Remorso do Cosmos (de ter vindo ao sol) (Ateliê Editorial, 2003), Página Órfã (Martins Fontes, 2007) e Estado Crítico (Editora Hedra, 2013). E uma reunião de sua produção: Até Agora, de Régis Bonvicino (Editora Imprensa Oficial, 564 páginas). Régis está prestes a lançar nos Estados Unidos seu segundo livro naquele país: On the Other Side of the Wall: New Selected Poems, pela Green Integer, de Los Angeles.

 

Sobre o Oi Futuro

O Oi Futuro é o instituto de responsabilidade social da Oi, que emprega novas tecnologias de comunicação e informação no desenvolvimento de projetos de educação, cultura, esporte, meio ambiente e desenvolvimento social. Desde 2001, suas ações visam democratizar o acesso ao conhecimento e reduzir distâncias geográficas e sociais, com especial atenção à população jovem.

Na educação, os programas NAVE e Oi Kabum! usam as tecnologias da informação e da comunicação, capacitando jovens para profissões na área digital, fornecendo conteúdo pedagógico para a formação de educadores da rede pública, e fomentando o desenvolvimento de modelos inovadores. Já na área cultural, o Oi Futuro mantém dois centros culturais no Rio de Janeiro, com uma programação nacional e internacional de qualidade reconhecida e a preços acessíveis, além do Museu das Telecomunicações.

O esporte é apoiado através de projetos aprovados pelas Leis de Incentivo ao Esporte, tendo sido a Oi a primeira companhia de telecomunicações a apostar nos projetos socioeducativos inseridos na Lei Federal. O programa Oi Novos Brasis completa seu escopo de atuação, reafirmando o compromisso do Instituto no campo da sustentabilidade, com o apoio e o desenvolvimento de parcerias com organizações sem fins lucrativos para a viabilização de ideias inovadoras que utilizem a tecnologia da informação e comunicação para acelerar o desenvolvimento humano.

 

Serviço:

A Nova Utopia – Abertura:
30 de julho de 2016, sábado, às 19h30
OI FUTURO IPANEMA
Galeria 1 e Vitrine (térreo)
Visitação:  31 de julho a 25 de setembro
De terça a domingo, das 13h às 21h
Rua Visconde de Pirajá, 54 – Ipanema
Tel.: 3131 9333
Entrada Franca
Classificação: Livre

George Patiño
Assessoria de Imprensa – Poesia Visual
Oi: (21) 98758-7282
Oi Fixo: (21) 2512-3244
george.patino71@gmail.com

 

Barbara Gazal
Comunicação Institucional
Comunicação Corporativa
(21) 2556-6698
(21) 98766-1151
barbara.gazal@oi.net.br