Priscila Merizzio: Sem título

dormir o corpo
adiposo no edredom
florido
ocultar a epilepsia
imaginária
ouvindo Joy Division
fugir do sono derradeiro
que se refaz nas
barbas noturnas
morder angústias
picando na aorta
água marinha
faisão mastiga o
boldo das horas
sonho tapa
a lucidez
dos sisos
sombra presa em
trapiches podres
amar o inexistente
vazio preenchido com vazio
múmia, pele sem órgãos
casca de cobra na floresta
o creme da vida é luz
atravessando vitrais
de igrejas iluminando uma
das faces
ajoelha-se o homem
implorando a melissa das manhãs

Sobre Priscila Merizzio

Curitibana, editora convidada da Germina - Revista de Literatura & Arte, integra também o time das "Escritoras Suicidas". Participou da Bienal Internacional de Curitiba de 2013. Minimoabismo (ed. Patuá, 2014) é seu livro de estreia.