Três poemas de mio cardio

cancioneirinho da fossa
(cosmopolitan remix)

obtuso

diz-se do obtuso,
da soma, não pelo ângulo:
contrário ao óbvio
põe-se em absurdo;
aquilo que se diz
contra tudo, óbvio
por amplo, confuso…

 

cismado

(bestiário sísmico se aproxima)

braço terremoto de cãibra e cócega
interrompe o sono

caralho envirilha esguicho ao talho
interrompe o sono

— alguém esquece o aparelho ligado

jazz café e veludo vermelho
desenha, o contrabaixo

salto agulha, martini e cereja
— traga sono:

contar,
farpas de arame:
bezorros de chifres verdes na cerca

— do fogo antiaéreo
gastrite, cigarro entre dedos
coceira entre dedos
membros hibernam estanques na alcova —

besuntos de groselha empalando carneirinhos
interrompem o sono

bezorros largam seus chifres na lã

e se despedem.

janelauroras despem o aposento.

fechados olhos,
as pálpebras vibram.

 

precoce

da cômoda a luz interrompia
retinta a retina apagada na cinza
antes que fosse escrita.

Sobre Fabio Riggi

Jornalista, canhoto. Escreveu mundo menor e mio cardio entre 2002 e 2004, publicados em tiragem ínfima e distribuída aos amigos, e os vem reescrevendo desde então. Também apresentou em 2009 a dissertação Ideograma do caos, sobre a poesia e a experiência de Mário Faustino entre 1956 e 1959.