Sobre Paul Hoover

É um poeta e editor americano nascido em 1946, em Harrisonburg, Virginia. Seu trabalho tem sido associado a práticas inovadoras de poesia. Depois de muitos anos como poeta residente no Columbia College em Chicago, ele aceitou o cargo de professor de Escrita Criativa na San Francisco State University em 2003. Vive em Mill Valley, Califórnia. Hoover é amplamente conhecido como editor, com Maxine Chernoff, da revista literária New American Writing, publicada uma vez por ano em associação com a San Francisco State University. Ele também é conhecido por editar a antologia Postmodern American Poetry, 1994. A segunda edição da antologia foi publicada em 2013. Hoover escreveu o roteiro para o filme independente Viridian (1994), dirigido por José Ramirez, que foi exibido no Centro de Cinema do Instituto de Arte de Chicago e projetado no Hamburg Film Festival.

Entrevista a Jane Joritz-Nakagawa

No verão de 2015, Jane Joritz-Nakagawa embarcou numa conversação, via e-mails, com o poeta, tradutor, editor, ensaísta e romancista Paul Hoover para discutir o futuro do New American Writing (uma revista que tem sempre destacado poetas americanos e não americanos, tradução de poesia e várias edições especiais), a carreira de Paul e seu trabalho mais recente.
O poema contém poucas sentenças, mas muita música e jogo de palavras. Escrevendo dessa maneira, os alunos se veem forçados a pensar palavra por palavra, e não de frase por frase. Para confirmar o esquema, eu leio o final do poema duas ou três vezes mais. Algumas pessoas usam o termo “abstrata” para qualificar esse tipo de poesia. Mas não é abstrata; é uma dança viva de palavras, que leva a mais do que uma direção.
A segunda tarefa do dia era um poema de três páginas a ser começado no meio de uma frase e a terminar no meio de outra. Os modelos eram os poemas longos de Gwendolyn Brooks (“In the Mecca”), Louis Zukofsky (“A”-14).

Sibila, lugares contemporâneos da poesia: Paul Hoover

Sibila: O que você espera ao escrever poesia?

Paul Hoover: Quero que a poesia me surpreenda e me transporte. Isso só pode acontecer quando diz a verdade – por exemplo, quando a chama e a borboleta têm certos traços em comum (Ponge). Escrever um poema pode ser uma experiência exaustiva. Você acha que não consegue ir a lugar algum e adormece à sua escrivaninha, num estado que Frank O’Hara chamou “quandariness” [dilematicidade]. Isso pode acontecer mesmo quando o resultado é um poema maravilhoso. Os poemas são uma investigação de identidade e diferença, onde a beirada (assunto) encontra seu vinco (forma).

The foundation of “The League of Independent Vietnamese Writers”

The founders of the League are at risk in signing the petition. It is very brave of them to ask for more freedom of expression, because the last time it happened, in the mid-1950s following military victory over the French, poets and writers who made such a request were treated very harshly, including imprisonment, loss of their privileged positions in the Writers Association, and not having their work published for the next 40 years.

THE DECADENCE OF THE US

Interview of Paul Hoover for Régis Bonvicino Paul Hoover is a San Francisco poet and editor of the anthology, Postmodern American Poetry (W. W. Norton, 1994).  With Maxine Chernoff, he has edited and translated Selected Poems of Friedrich Hölderlin and, with Nguyen Do, the anthology, Black Dog, Black Night: Contemporary Vietnamese Poetry.  His most recent poetry […]